Enfermagem e Saúde da Mulher

shutterstock 598396331O Portal da Rede Saúde da Mulher é um espaço informativo sobre as ações desenvolvidas pela Associação Brasileira de Enfermagem, em defesa do papel da mulher na sociedade e da saúde da mulher como um direito fundamental. A Enfermagem é uma profissão essencialmente feminina, desde sua origem, e o cuidado é uma atividade cotidiana prioritariamente delegado a mulher na vida social

Capacitação Permanente

Capacitação Permanente

Diretoria da ABEn reunida em setembro de 2010

A nova gestão da ABEn Nacional planeja como será operacionalizada a capacitação em Saúde da Mulher, direitos sexuais e direitos reprodutivos. Membros da Diretoria da ABEn Nacional, gestões 2007-2010 e gestão 200-2013, reuniram-se na sede da ABEn Nacional,  cidade de Brasilia (DF), , nos dias 5 a 7 de setembro de 2010, para leitura do termo de convênio firmado com base na Proposta 020046/2010, convertida no Convenio numero 065/2010, com a Secretaria de Política para Mulheres/Presidência da República e para a definição de conteúdo, adaptação de material, elaboração de plano de capacitação e dos modelos de documentos a serem adotados durante a operacionalização do dito convênio.

PDF Reunião Planejamento 2010

Gestores e multiplicadores capacitados

A difusão do assunto ganhou importante dimensão quando a ABEn iniciou as atividades junto à categoria. Além do curso, já foram realizadas mais quatro oficinas entre profissionais, gestores de instituições de saúde e os chamados multiplicadores, que repassam as informações no trabalho ou mesmo com a divulgação dos temas. Foram duas oficinas em Brasília (DF), uma em Campo Grande (MS) e uma em Dourados (MS).
A ABEn continua trabalhando para realizar mais oficinas e mais um curso de capacitação que permitirá qualificar os profissionais de Enfermagem a lidar com o assunto onde estiverem.

ABEn realiza oficinas e cursos

Numa parceria com a Secretaria Especial de Política para as Mulheres, do governo federal, e com a Rede Feminista de Saúde, a ABEn vem desenvolvendo várias atividades entre os profissionais da Enfermagem com os temas referentes aos direitos sexuais e reprodutivos.
A primeira ação foi a realização de um curso durante o 62º Congresso Brasileiro de Enfermagem, ocorrido em outubro na cidade de Florianópolis (SC).

Durante um dia inteiro foram apresentados e discutidos os desafios, as demandas e a implantação de políticas públicas direcionadas à saúde das mulheres. Esteve presente a secretária executiva Télia Negrão, do Coletivo Feminino Plural, de Porto Alegre (RS), e secretária executiva da Rede Feminista de Saúde. Foram ressaltadas informações dos problemas de violência contra as mulheres, que ultrapassa culturas e nacionalidades. A Rede Feminista de Saúde atua para combater essa realidade e para contribuir com a ampliação das políticas,, como prevê o II Plano Nacional de Políticas para as Mulheres, ainda não executado na integralidade pela União, estados e municípios.

CAMPANHA – Um dos assuntos do curso foi a Campanha Ponto Final na Violência contra Mulheres e Meninas que se constitui num importante instrumento para potencializar o processo de reversão de opiniões conservadoras da sociedade que até bem pouco tempo mantinha-se omissa à violência contra as mulheres, mas hoje já está informada sobre o fenômeno e vive sob uma nova legislação, que reconhece os direitos humanos das mulheres.
A Campanha Ponto Final é uma intervenção que se diferencia de outras estratégias pois enfatiza o debate e a reflexão sobre padrões culturais. Para a advogada e mestra em Antropologia Renata Jardim, assistente executiva da coordenação geral da Ponto Final, não adianta apenas punir. É preciso compreender a violência como ela ocorre, os processos culturais que a legitimam e os enormes danos produzidos, buscando formas de relacionamentos e convivências baseadas no respeito e não em agressões.

03